Pelas v(e)ias de Antonio Candido

a literatura como fenômeno literário e fonte de transformação social

Autores

  • Ederson Luís Silveira Universidade Federal de Santa Catarina
  • Wilder Kléber Fernandes de Santana

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v1i13.220

Palavras-chave:

Antonio Candido, Literatura Brasileira, Transformação Social

Resumo

Este artigo se propôs a tecer considerações sobre o pensamento crítico e os pressupostos teóricos de Antonio Candido (1918-2017), na medida em que é ressaltada a importância de suas ideias para crítica literária brasileira. Buscou-se averiguar a importância da literatura e da arte para concretização da transformação social, via relações dialógicas (Bakhtin, 2006 [1979]). Para composição do manuscrito, realizou-se uma pesquisa bibliográfica, tanto através de textos de Antonio Candido (1985; 2000; 2004) quanto de interlocutores em esfera brasileira em relação aos estudos do referido sociólogo, tais como Schwarz (1999), Lajolo (2003), Barbosa (2007), Bosi (2003), entre outros. As investigações realizadas apontaram para potencial humanizador e transformacional do pensamento crítico de Antonio Candido, cujos escritos constituem um caráter inestimável no âmbito dos estudos da arte e da literatura brasileira. Através, portanto, das v(e)ias literárias de Antônio Candido, foi possível identificar um cenário dialógico de vozes críticas cujos horizontes de produção e reflexão instigam a um processo de transformação social.

Biografia do Autor

Ederson Luís Silveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando e Mestre em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC; pós-graduando em Ontologia e Epistemologia; Membro do Grupo de Estudos Formação de Professores de Línguas e Literatura - FORPROLL/CNPq

Wilder Kléber Fernandes de Santana

Doutorando e Mestre em Linguística pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB; Membro-Pesquisador do GP´LEI- CNPq. 

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 5. ed. Tradução do russo: Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2006 [1979].
BARBOSA, João Alexandre. Criação e Crítica Literária. In: BARBOSA, João Alexandre. Leituras desarquivadas. Cotia: Ateliê Editorial, 2007, p. 45-56.
BOSI, Alfredo. Sobre alguns métodos de ler poesia: memórias e reflexões. In: BOSI, Alfredo. Leitura de poesia. São Paulo: Ática, 2003.
BUORO, Anamelia Bueno. O olhar em construção: uma experiência de ensino e aprendizagem da arte na escola. 4 edição. São Paulo: Cortez, 2000.
CANDIDO, Antonio. A literatura e a formação do homem. Ciência e cultura, v. 24, n. 9, p. 803-809, 1972.
CANDIDO, Antonio. Dialética da Malandragem: caracterização das Memórias de um sargento de milícias. Revista do Instituto de estudos brasileiros, n. 8, p. 67-89, 1970.
CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: Momentos decisivos. 6. ed. Belo Horizonte, Editora Itatiaia Ltda, 2000.
CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 7. ed. São Paulo: Nacional, 1985.
CANDIDO, Antonio. O direito à literatura; O esquema de machado de Assis. In: CANDIDO, Antonio. Vários Escritos. São Paulo: Duas Cidades/Ouro sobre azul, 2004.
CARDOSO, Sebastião Marques. Horizontes da crítica literária brasileira contemporânea: Roberto Schwarz e Luiz Costa Lima. In: VIOLA, Alan Flavio (Org.). Crítica literária contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.
CARNEIRO, Ana Paula Lima. RODRIGUES, Manoel Freire. Pensamento crítico de Antonio Candido: algumas considerações. Revista do GELNE, v.19, n.2, p. 90-100, 2017.
CRESPO, Regina. Antonio Candido e “nossa América” Literatura, história e política. In: SERNA, Jorge Ruedas de La (Org.). História e literatura: homenagem a Antonio Candido. Campinas: Editora da UNICAMP, Fundação Memorial da América Latina/ São Paulo: Imprensa Oficial do estado, 2003, p. 93-114.
FISCHER, Ernest. A necessidade da arte. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1987.
HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Fenomenologia do Espírito – parte I. Trad. Paulo Meneses com colaboração de Karl-Heinz Efken. Apresentação de Henrique Cláudio de Lima Vaz. Editora Vozes, Petrópolis, 1992.
LAJOLO, Marisa. A leitura na Formação da literatura brasileira de Antonio Candido. In: SERNA, Jorge Ruedas de La (Org.). História e literatura: homenagem a Antonio Candido. – Campina, SP: Editora da UNICAMP, Fundação Memorial da América Latina: São Paulo: Imprensa Oficial do estado, 2003, p. 51-75.
SCHELLING, F.W.G. Filosofia da arte. São Paulo: Edusp, 2010.
SCHWARZ, Roberto. Seqüências brasileiras: ensaios. São Paulo: Companhia da Letras, 1999.
SOUZA, Roberto Acízelo de. O império da eloquência: retórica e poética no Brasil oitocentista. Rio de Janeiro: EdUERJ: EDUFF, 1999.
VAZ, Henrique Cláudio de Lima. Apresentação da 2ª edição. In: HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Fenomenologia do Espírito – parte I. Trad. Paulo Meneses com colaboração de Karl-Heinz Efken. Petrópolis: Vozes, 1992.
VOLÓCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução, notas e glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. Ensaio introdutório de Sheila Grillo. São Paulo: Editora 34, 2017.
ZILBERMAN, Regina. Leitura literária e outras leituras. In: Leitura-práticas, impressos, letramentos. (Org.) BATISTA, Antônio Augusto. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

Downloads

Publicado

2019-06-28

Como Citar

Silveira, E. L., & Kléber Fernandes de Santana, W. (2019). Pelas v(e)ias de Antonio Candido: a literatura como fenômeno literário e fonte de transformação social. Jangada: Crítica | Literatura | Artes, 1(13), 74–85. https://doi.org/10.35921/jangada.v1i13.220